...
 

Projeto 200 anos de Imprensa no Maranhão lançará uma série de podcasts com cinco episódios


A união entre a Universidade Federal do Maranhão – por meio da Diretoria de Comunicação (DCom) da Superintendência de Comunicação e Eventos (SCE) - com a Fundação Josué Montello, a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) e a Vale para a realização do projeto 200 Anos de Imprensa no Maranhão renderá também uma série de podcasts com cinco episódios, que é produzida pelo Núcleo de Audiovisual do projeto, cada um com duração de 15 minutos e que contará mais desta trajetória da imprensa no estado ao longo de dois séculos.


A coordenadora do Núcleo de Audiovisual do projeto, Nelciane Dias, adiantou que a previsão de lançamento do primeiro episódio é para o final de agosto e deu detalhes sobre o conteúdo dos podcasts. “O primeiro episódio traçará uma linha cronológica, até os dias atuais; o segundo focará no início da imprensa no estado; o terceiro abordará a imprensa do século vinte; o quarto trará a mudança da imprensa no século vinte; e o último, será um compilado de entrevistas dos podcasts anteriores. Estes episódios serão disponibilizados nas principais plataformas digitais e na programação da Rádio Universidade FM”, explicou.


Ela declarou que disponibilizar podcasts ajuda na difusão das informações em relação ao projeto, já que podem ser inseridos em diferentes plataformas e podem ser acessados, compartilhados e reproduzidos em diferentes momentos. “Este formato possibilita ser ouvido em qualquer lugar, em casa, a caminho do trabalho e da faculdade ou até mesmo no decorrer das atividades domésticas e na prática de exercícios. Com uma linguagem bem acessível, os programas poderão servir como fonte de estudo, pesquisa e de informação para quem possui curiosidade e dúvidas sobre a história da imprensa no Maranhão”, analisou.


Para o editor dos podcasts, Ivo Eriky Ramos, o principal desafio é conceber um produto que possa abarcar toda a historiografia presente nestes 200 anos de imprensa, assim como traduzir todos estes anos por meio de trilhas e sons que possam transmitir a sensação e historiografia da época até os dias de hoje. “Tecnicamente os maiores desafios encontrados na edição, são a busca por sons e efeitos que possam emular o ruído de um rádio, de um jornal impresso, de um locutor no estúdio, assim como trilhas sonoras que possam conversar com as informações que estão sendo passadas pelo locutor, tudo isso em um período de tempo curto e conciso”, comentou.


Já para Rildo Corrêa, que junto com a coordenadora do núcleo é responsável pela pesquisa e produção dos podcasts, o resgate histórico do projeto ocorre por meio de pesquisas e entrevistas. “Tivemos acesso a diversos materiais de pesquisadores sobre as diferentes mídias. Estudos contam e ilustram a criação e desenvolvimento da imprensa desde a então província, em 1821, até os dias atuais. O desafio é muito grande. É uma rica história, que envolve aspectos sociais, econômicos e políticos, por exemplo. Não temos como abordar tantos detalhes, mas vamos trazer informações que permitirão entender a imprensa no Maranhão nesses dois séculos de história”, destacou.


Por fim, a locutora dos podcasts, Thaís Andrade, afirmou que é uma honra ceder sua voz para a constituição da série de podcasts, uma vez que o projeto tem o intuito de preservar a memória da imprensa no estado. “O podcast é uma mídia diferenciada, desde sua concepção, e estes produtos serão disponibilizados para todos tenham acesso, desde que estejam conectados à internet, transpondo a barreira local. A equipe está se esforçando para entregar produções com bastante conteúdo, informativo e, ao mesmo tempo, leve e atraente”, finalizou.


A série de podcasts entra na proposta do projeto de resgatar e enaltecer os 200 anos da imprensa no Maranhão, proporcionando uma revisitação da memória e dos grandes nomes que compuseram o desenvolvimento da área no estado. Dentro da programação também consta uma série de eventos em comemoração a este marco, o lançamento de um documentário, uma série de matérias para o site da UFMA e conteúdos especiais para as redes sociais da Universidade.


Sobre o Projeto

O projeto visa resgatar e enaltecer os 200 anos da introdução da imprensa no Estado do Maranhão, de forma a proporcionar uma revisitação da memória, tanto do acontecimento em si quanto da trajetória da imprensa nesses dois últimos séculos.

Em abril de 1821, era fundado, na capital do Maranhão, a colonial cidade de São Luís, que ainda não era conhecida como Athenas Brasileira, o primeiro jornal do Maranhão. Chamava-se O Conciliador do Maranhão e se tornou o marco inicial da atividade jornalística — que, nesses 200 anos, mostrou-se pujante e bastante diversificada.

Para comemorar esse momento, a UFMA está organizando uma série de eventos em 2021. As ações estão sendo organizadas e efetivadas pela Superintendência de Comunicação e Eventos, por meio da Diretoria de Comunicação da Universidade.


Veja também a matéria sobre a união institucional entre a UFMA, EMAP, Fundação Josué Montello e Vale viabiliza ações para o projeto 200 anos de Imprensa do Maranhão


Por: Allan Potter

3 visualizações0 comentário